Projeto do túnel Santos-Guarujá

24.03.2014

Considerada uma das principais obras do Governo do Estado de São Paulo, a construção do túnel submerso Santos- Guarujá traz para o Brasil um projeto inédito. Serão seis módulos pré-moldados de concreto, construídos no município de Guarujá e depois de finalizados, levados até o local onde serão submersos.

Ainda em fase de licitação, com a construção do túnel estima-se que o tempo de travessia entre as duas cidades seja reduzido para aproximadamente 2 minutos, uma economia de 43 km em relação ao trajeto realizado atualmente.

A discussão em relação ao projeto é antiga e a obra que ainda nem começou já foi alvo de protestos, estudos e audiências. A principal preocupação é em relação ao impacto ambiental e a desapropriação de casas nas áreas de saída do túnel, além do transito gerado nesses locais durante a obra. Na cidade de Santos serão duas saídas: na Avenida Senador Dantas, sentido Perimetral e na Rua Padre Anchieta, sentido Ponta da Praia. Estudos apontam que haveria uma considerável melhoria no cruzamento do Canal 3 com a Rua Francisco Glicério e que o acréscimo no trafego na área da Rua Silva Jardim com a Rua Rodrigues Alves seria absorvido sem problemas maiores.

O fato é que não importa em que local o Túnel Santos-Guarujá seja construído, os benefícios para a região são incontestáveis. O objetivo maior da obra é beneficiar o transporte entre as duas cidades, reduzindo o tempo de circulação dos veículos, mas a ligação seca também traz um ganho ambiental, já que haverá diminuição do consumo de combustíveis e a emissão de gases poluentes na região. Em um pensamento ecológico, a redução desses gases junto com a diminuição no trafego das balsas trazem um impacto positivo para a natureza, já que toneladas de combustível deixarão de ser lançadas no mar.

Além disso, com 3 faixas em cada sentido, ciclovia e espaço próprio para pedestres, o projeto vai contar futuramente com o VLT, dando acesso ao futuro Aeroporto Metropolitano e ao Terminal Rodoviário de Vicente de Carvalho.

A mobilidade urbana será uma de tantas áreas beneficiadas, as condições de deslocamento dos trabalhadores entre Santos (área atrativa para empregos) e Vicente de Carvalho (de onde vem a mão-de-obra) serão melhoradas, trazendo mais agilidade pro dia a dia da região.

As obras vão gerar empregos até 2020, ano em que está previsto a entrega do túnel, e vão contribuir para o desenvolvimento de toda a baixada. O tempo de travessia reduzido contribui para melhoria do comércio na região, aumento do turismo e vai acabar injetando mais dinheiro na economia de Santos e das cidades ao redor. O comércio, a saúde, o turismo, a educação, o meio ambiente, cada área será afetada de uma forma diferente e em um mundo cada vez mais dinâmico, a rapidez e a facilidade de locomoção serão destaque no projeto.

Por ser um inédito e ousado, o túnel é um avanço significativo para a engenharia brasileira, estudos vã0 acabar atraindo os olhares para a cidade e colocando Santos e região em posição de destaque.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba novidades por e-mail
Receba novidades por email