O crescimento da Baixada Santista continua

13.02.2015

O crescimento da Baixada Santista continua mesma com a perda de muitos postos de trabalho e o baixo índice de geração de empregos na Baixada Santista, no ano de 2014, não afetou todo o acúmulo dos últimos sete anos.

Entre 2007 e 2014, a região abriu mais de 67 mil novos empregos, destacando os ramos de comércio e serviço, estimulados pelas atividades de petróleo e gás. Todos os municípios da região estão com números positivos sobre a geração de emprego. Santos é a primeira cidade, com mais de 38 mil novos empregos.

crescimento da Baixada Santista

Um estudo da Fundação Seade apontou que desde 2009, a Baixada Santista vem tendo um crescimento maior que o restante do Estado de São Paulo. No ano de 2011, a região teve uma alta de 12,6%, enquanto o Estado teve um crescimento de 1,6%.

O início das operações da Unidade de Exploração e Produção da Bacia de Santos (UO-BS) da Petrobras e a instalação de uma base da Saipem, empresa italiana de serviços de petróleo, no Guarujá, foram fatores determinantes para esse crescimento.

Entre janeiro de 2013 e março de 2014, a Petrobras, através da UO-BS, investiu R$ 17 milhões com fornecedores de equipamentos e serviços da Baixada Santista.

Também como exemplo desse crescimento, a Saipem, em 2012, somou R$ 20 milhões em contratos com empresas de Santos.

Contratando serviços de transporte, funcionários, buffet, consultoria em análises técnicas, obras civis, instalações elétricas, além de movimentar o comércio com a compra de móveis de escritório, equipamentos elétricos, EPIs (equipamentos de proteção individual), entre outros.

Os R$ 37 milhões investidos, em 15 meses, por essas duas gigantes do setor petrolífero, representam muito na geração de empregos na região. O comércio varejista de todo o litoral de São Paulo, fatura cerca de R$ 1,5 milhão por mês.

Para efeito comparativo, mantendo essa média, durante 15 meses, a somatória é de R$ 22,5 milhões.

Para o professor de economia na UniSantos e pesquisador do Nese da Unisanta, José Pascoal Vaz, a região soube aproveitar o momento de crescimento econômico do Brasil nesses sete anos (2007 a 2014).

“Santos com 38 mil empregos nesse período mostra que a Cidade teve um ótimo desempenho. A participação na geração de empregos na região é maior que a participação de Santos no PIB da Baixada Santista.”

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba novidades por e-mail
Receba novidades por email